Rio de Ondas

  • Eu sou do Rio! Do rio de ondas!!!

    Rio de Ondas

    Rio de Ondas - Barreiras-BA

     

  • Fotos no Rio de Ondas - Pousada Agua Viva

    Rio de Ondas

     

  • Rio de Ondas, Barreiras - BA - Casa do Rio

    Cidade de Barreiras recebe turistas que procuram sossego a beira do Rio de Ondas. Outros turistas buscam fortes emoções pelo passeio de bote nas correntezas.

  • Três Bocas no Rio de Ondas

    Três Bocas no Rio de Ondas

    Três Bocas localizado no Rio de ondas em Barreiras

    Rio de ondas

  • Uma esperança para o Rio de Ondas

    Rio Vivo: uma esperança para o Rio de Ondas

     

    Barreiras (BA). Parte de Barreiras está agonizando e tudo isso é culpa dos próprios barreirenses, já que nunca cuidaram do Rio de Ondas e muito menos, não sabem a importância dessa beleza que a natureza lhes deixou. Uma dádiva de Deus que não pode ser patrimônio de ninguém, mas sim, das futuras gerações de barreirenses.

     

    Em 2007, o Jornal Novoeste fez uma série de reportagem em que denunciou a forma como o Rio de Ondas vinha sendo explorado. Nas edições 506, 507 e 508 de 2007, o Jornal apresentou a população oestina um rio cujo as margens estavam sendo destruídas, as matas ciliares sendo substituídas, em ritmo muito acelerado, por construções.

     

     

    Nesse mesmo ano, o Ministério Público Estadual coordenou uma equipe composta pelo IBAMA, CREA, COPPA, SFC e SRH para realizar uma Fiscalização Preventiva Integrada (FIP) para controlar as ocupações irregulares nas Áreas de Preservação Permanente (APP) do Rio Grande e Rio de Ondas. Isso resultou em autuações e embargos de novos loteamentos identificados abertos em áreas de APP.

     

    Nessa mesma ação foram identificadas 234 construções através de um levantamento amostral das construções localizadas na APP do Rio de Ondas, no trecho entre a ponte do Haras e o Chalé dos Buritis.

     

     

    Para dar prosseguimento às ações da FIP, em 2008 o Ministério Público Estadual disponibilizou o consultor Flávio Barrero, que teve a missão de articular as instituições ambientais em Barreiras nascendo assim o Projeto Rio Vivo, formado por representantes do IBAMA, CRA, SFC, SRH, CREA, SEMATUR (Secretaria Municipal do Meio Ambiente), Conselho Municipal do Meio Ambiente, Agência 10envolvimento e AMINA. Logo depois, entidades da sociedade civil, universidades e órgãos de meio ambiente com atuação em Barreiras se mobilizaram e se integraram ao Projeto e continuaram o processo de levantamento dos dados das propriedades e de compensação pelo desmatamento das Áreas de Preservação Permanente ao longo do Rio de Ondas.

     

     

    Assim, o Projeto Rio Vivo tem como metas: levantar dados das propriedades localizadas ao longo do Rio de Ondas; medir as APPs desmatadas em cada propriedade; medir a área ocupada por construções em APPs em cada propriedade, discriminando o perfil das estruturas; subsidiar os órgãos ambientais na adoção dos procedimentos administrativos pertinentes; subsidiar o Ministério Público Estadual na propositura de Termos de Ajustamento de Conduta com os proprietários; Promover o contínuo monitoramento da ocupação das APPs do Rio de Ondas.

     

     

    Como bem definiu Berê Brasil, integrante do projeto, “o atual comprometimento das Áreas de Preservação Permanente às margens do Rio de Ondas, exigiu a mobilização de todos os órgãos e entidades com atuação na região para que aconteça a reversão de todo o processo de degradação que está o Rio de Ondas, a responsabilização dos infratores, e, principalmente a efetiva recuperação das APP´s”.

     

     

    Berê Brasil ainda alerta que o projeto não corre o risco de sofrer represália de poderosos, pois todas as atividades são respaldadas pela lei e trata-se de uma atividade integrada ao Poder Judiciário, o que dar segurança e confiabilidade das ações. “Quando vamos a campo fazer o monitoramento, vamos com órgão que possuem“poder de canetada”. Não se trata de coleta de informação para fazer uma denúncia já se trata de uma atividade da Promotoria”, esclareceu.

     

     

    Berê deixa claro ainda que o não cumprimento das determinações Judiciais implicarão em punição sérias. “Temos que esclarecer que se trata de um rio onde usamos sua água para beber e para o nosso lazer, por isso temos que preservá-lo, e isso quer dizer que haverá sim demolições de propriedades. Aquelas que não se adequarem serão sim demolidas”.

     

     

    O Projeto Rio Vivo que recebeu o apoio de toda a população e não encontra resistência, é um projeto pioneiro. No Rio Grande de Sul houve uma experiência parecida e obteve resultados satisfatórios.

     

     

    Atividades desenvolvidas

     

     

    Em 2009 as atividades do Rio Vivo foram intensificadas, as idas a campo para cadastrar as propriedades foram possíveis. “Em 2008 as atividades foram concentradas na elaboração do projeto, na sistematização e planejamento. Em 2009 com a incorporação das Universidades e com a liberação da verba, o projeto de levantamento e cadastramento das áreas ocupadas indevidamente pode ser posto em prático”, explicou Berê Brasil, coordenadora do Projeto.

     

     

    O Projeto já levantou os dados das propriedades que necessita de adequação no trecho entre a

     

    Prainha e o 4º BEC. Está em andamento o levantamento dos dados referentes às propriedades localizadas ao longo do Rio de Ondas no trecho entre o 4º BEC e o Country Club.

     

     

    O Ministério Público realizou uma reunião com imobiliárias, CREA e corretores de imóveis no início do mês de dezembro para orientar sobre a venda e construção em Áreas de Proteção Permanentes. “Estão sendo comercializados lotes situados totalmente em APPs, e o corretor que vende esses lotes não explica isso e acaba induzindo o adquirente a cometer crime ambiental. Por isso essa recomendação e orientação”, esclareceu Eduardo Bitencourt, promotor.

     

    E para fechar o ano de 2009 em pleno vapor, o município de Luís Eduardo Magalhães, através da Secretaria de Meio Ambiente, tornou-se parceira do Projeto. “O número de propriedades nas APPs do Rio de Ondas dentro do município de LEM é menor, isso significa que talvez eles possam terminar o cadastramento primeiro que Barreiras, acredito que até junho”, destacou Berê, que acrescentou ainda que provavelmente em julho de 2010 realize-se uma audiência pública para apresentar os resultados da primeira etapa para então a Promotoria emitir os Termos de Ajustes de Condutas, os TACs.

     

     

    Em 27/01/10  Por Rose Cerqueira - http://www.novoeste.com/articles_137_Rio-Vivo-uma-esperanca-para-o-Rio-de-Ondas.html

     

     

     

     

     

     

     

  • Você conhece a Prainha em Barreiras? Confira as fotos!

    Você conhece a Prainha em Barreiras? Confira as fotos!

    Conheça a Prainha, no Rio de Ondas. Uma opção de lazer para os moradores e visitantes de Barreiras.