Últimas Notícias

Secretaria da Educação divulga resultado de processo seletivo para professores

O resultado final, por ordem de classificação, do processo seletivo simplificado para contratação de professores da rede estadual de ensino, por meio do Regime Especial de Direito Administrativo (Reda), foi publicado pela Secretaria da Educação do Estado na edição desta quinta-feira (27) do Diário Oficial do Estado. 

As provas foram realizadas no dia 26 de julho para mais de 30 mil candidatos. A lista com o nome dos aprovados está disponível noPortal da Educação.  A secretaria oferece 6.145 vagas, sendo 4.616 para a Educação Básica, 1.282 para a Educação Profissional e 247 para a Educação Indígena. Das vagas disponíveis, 30% são reservadas a candidatos negros e 5% a pessoas com deficiência. 

A seleção Reda para professores foi anunciada pelo governador Rui Costa no mês de maio e é mais uma ação do programa Educar para Transformar – um Pacto pela Educação. Segundo o secretário Osvaldo Barreto, “os professores aprovados na seleção têm formações específicas, o que vai contribuir para a melhoria da qualidade da educação nas escolas da rede estadual”. Ele ressaltou ainda que a Educação é a prioridade do Governo da Bahia.

A lista divulgada nesta quinta-feira contempla todos os classificados de acordo com os critérios previstos no edital. No entanto, somente serão convocados, de forma imediata, os aprovados de acordo com o número de vagas oferecidas. Os candidatos devem aguardar nos próximos dias a convocação, que também será publicada no Diário Oficial. Nesta etapa, os convocados deverão se dirigir aos Núcleos Regionais de Educação (NRE), para os quais se inscreveram, e apresentar a documentação necessária, além dos exames médicos constantes na lista de convocação.

http://www.secom.ba.gov.br/2015/08/127547/Secretaria-da-Educacao-divulga-resultado-de-processo-seletivo-para-professores-.html

Aiba cobra celeridade na liberação de custeio de safra

O volume de crédito agrícola contratado em julho de 2015 é 30% superior ao mesmo mês do ano passado. O valor foi divulgado na última terça-feira (25) pela ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) durante reunião com entidades do agronegócio e representantes de bancos públicos.

 

O secretário de Políticas Agrícolas, André Nassar, relatou que, em julho de 2014, o total financiado a juros controlados foi de R$ 8,886 bilhões (incluindo recursos obrigatórios, poupança rural e fundos constitucionais). Já no mês passado, esse valor saltou para R$ 11,596 bilhões, aumento de 30%. A fonte dos dados é o sistema de monitoramento do Banco Central (Sicor) e leva em conta custeio e comercialização, incluindo grandes, médios e pequenos produtores (Pronamp e Pronaf).

 

Em relação ao primeiro semestre, que leva em conta parte da safra atual e da anterior, houve queda de 7% de 2014 para 2015, passando de R$ 52,4 bilhões para R$ 48,7 bilhões. “Mas o mês de julho é o mês genuinamente da nova safra de 2015/2016, que foi onde encontramos aumento. Isso traz uma certa tranquilidade porque estamos em ascendência”, afirmou Kátia Abreu.

 

Kátia Abreu ponderou que o aumento de 30% no volume financiado neste mês em relação ao ano passado se deve, em parte, à menor disponibilidade do pré-custeio no primeiro semestre.

 

Presente à reunião, o presidente da Aiba e vice-presidente da Abrapa, Júlio Cézar Busato, solicitou aos representantes do Banco do Brasil e da Caixa Econômica maior celeridade na liberação dos custeios. “Estamos nos aproximando da janela de plantio e é preciso mais rapidez na liberação de crédito e ampliação das formas de financiamento, como créditos para exportação; mecanismos que forram muito utilizados no passado”, disse Busato.

 

A reunião entre produtores e bancos foi convocada pela ministra após entidades agrícolas alegarem dificuldade na hora de tomar o empréstimo nas agências bancárias. “Quando uma luz amarela acende, temos obrigação de chamar os atores e ouvir todos os envolvidos, porque o mais difícil nós temos, que é o dinheiro e encontrar quem quer correr risco, que são os produtores. Então, este meio de campo tem que ser desembolado”, disse ministra.

 

Entre as reclamações apresentadas pelos produtores, está o aumento das exigências dos bancos na hora de contratar financiamento, inclusive com garantia real. Além disso, há queixas sobre venda casada e sobre “mix” de taxas, quando há mistura entre recursos controlados e crédito livre.

 

“Nada mais justo do que ouvir o choro. Ninguém chora sem motivo”, afirmou a ministra ao fim da reunião. “Mas estamos passando por uma crise na China e por ajustes sérios na nossa economia. Todo o mercado, obviamente, se sensibiliza. Então é normal que os bancos, temorosos com os riscos, fiquem mais exigentes e preocupados. Mas não é nenhuma dificuldade incontornável”, completou.

 

A ministra estabeleceu o prazo de um mês para uma nova reunião de avaliação da evolução das contratações. “Tenho certeza que a realidade de agosto será melhor”, disse. “Apesar do preço das commodities terem caído, estamos vendendo nossos produtos, abrindo nossos mercados”.

 

O secretário-executivo do Ministério da Fazenda, Tarcísio José Massote de Godoy, afirmou que a agropecuária “só tem trazido alegrias” para a economia brasileira e que o governo federal tem considerado o bom desempenho do setor na hora de dotar recursos.

 

“Prova disso é que, apesar da situação rigorosa das contas públicas, a presidente Dilma Rousseff, juntamente com a ministra Kátia Abreu, disponibilizou recursos bastante relevantes para o Plano Agrícola e Pecuário”, afirmou Godoy. O volume destinado para a safra 2015/2016 foi de R$ 187,7 bilhões, valor 20% superior à safra anterior.

 

Texto: Ascom Aiba com informações da Ascom Mapa

http://aiba.org.br/noticias/aiba-cobra-celeridade-na-liberacao-de-custeio-de-safra-2/#.Vd-R9iUziko

 

JoomShaper