Protesto de caminhoneiros faz postos fecharem por falta de combustíveis e já preocupa hospitais e transporte público

De acordo com informações do Batalhão de Polícia Rodoviária (BPRv) da PM, até a tarde desta quinta-feira (24), a unidade não recebeu ordem judicial relativa aos protestos de caminhoneiros no estado.

O BPRv informa ainda que não foram lavrados autos de infração e nenhuma prisão foi realizada por conta dos protestos.Até a publicação desta reportagem, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) não passou um panaroma sobre a atuação no estado.

Protesto de caminhoneiros afeta abastecimento de alimentos e combustíveis na Bahia (Foto: Vanderson Nascimento/ TV Bahia)
Protesto de caminhoneiros afeta abastecimento de alimentos e combustíveis na Bahia (Foto: Vanderson Nascimento/ TV Bahia)

 

Veja levantamento do G1 em todo o estado:


Sudoeste
Em Vitória da Conquista, por conta do desabastecimento de alimento, os preços têm subido no Centro de Abastecimento da cidade. Equipes da TV Sudoeste, afiliada da Rede Bahia na região, constataram que o saco da batata, que era vendido a R$ 80 até a última segunda-feira (21), está saindo por R$ 200, um aumento de 120%.

Também houve aumento no preço do saco de beterraba, que passou de R$ 45 para R$ 60; do tomate, que cresceu de R$ 35 para R$ 70; e da cebola, que saiu de R$ 40 para R$ 60.

Além do desabastecimento de alimentos, Conquista também enfrenta fechamento dos postos de gasolina por falta de combustíveis. A equipe da TV Sudoeste não encontrou nenhum estabelecimento aberto nesta quinta-feira (24).

Por causa dos protestos dos caminhoneiros na região, o Instituto Federal da Bahia (IFBA) decidiu suspender as aulas nos três turnos.


Norte
Em Juazeiro, os protestos dos caminhoneiros têm preocupado o Hospital Regional. Isso porque o carro da empresa que abastece a unidade médica com oxigênio, que deveria ter saído de Vitória da Conquista, no sudoeste do estado, na segunda-feira (28), ficou preso em um bloqueio dos caminhoneiros.

Informações apuradas pela TV São Francisco, afiliada da Rede Bahia na região, apontam que o carro de distribuição de oxigênio conseguiu sair de Conquista na quarta-feira (23) e deve chegar em Juazeiro na sexta-feira (25).

O hospital tem 50% do estoque de oxigênio e, caso haja mais atrasos no abastecimento, a diretoria vai repensar o esquema de realização de cirurgias.

Feira e região
Em Feira de Santana, a cerca de 100 km de Salvador, o baixo estoque de combustíveis coloca em risco o sistema de transporte público na cidade.

Segundo a Via Feira, associação formada pelas empresas de transporte coletivo do município, um caminhão com tanque de gasolina está parado no município de Novo Horizonte, na região da Chapada Diamantina, por conta dos protestos.

Caso não haja abastecimento na cidade até a sexta-feira (25), os empresários contam que o sistema deve operar em esquema especial no sábado (26). Por dia, são necessários sete mil litros de gasolina para abastecer a frota da cidade.

Oeste
Em Barreiras, os postos que ainda têm combustíveis impuseram aumentos nos valores cobrados. Em geral, o litro da gasolina tem custado R$ 5,99 e do etanol R$ 4,09. No aeroporto da cidade, a administração disse que tem estoque para, no máximo, quatro dias. Caso a situação não melhore, a administração afirma que o cancelamento de voos será inevitável.

Sul
Em Itabuna, muitos postos de gasolina já estão fechados. Os mercados têm enfrentado problemas na área de hortifruti, mas seguem com estoque dos demais alimentos. O aeroporto de Ilhéus tem combustível para operar aeronaves até, no máximo, a sexta-feira (25).


Fonte: G1 BA