Barreiras Bahia - Fotos, videos e notícias.

Barreiras Bahia - Fotos, videos e notícias.

A Secretaria Nacional de Aviação Civil aprovou a primeira fase do Plano de Investimentos do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (Profaa) de 2011.

Essa primeira fase, segundo portaria publicada hoje no Diário Oficial da União, contempla apenas aeroportos de menor porte, que atendem à aviação regional.

Segundo a portaria, a União disponibilizará até R$ 102,3 milhões para obras nos aeroportos de Marechal Thaumaturgo (AC), Barreiras (BA), Vitória da Conquista (BA), Iguatu (CE), Linhares (ES), Anápolis (GO), Bacabal (MA), Campo Grande (MS), Dourados (MS), Breves (PA), Fernando de Noronha (PE), Cabo Frio (RJ), Ji-Paraná (RO), Caxias do Sul (RS), Vacaria (RS), Passo Fundo (RS), Rio Grande (RS) e Santo Ângelo (RS).

Esses recursos estão previstos no programa de desenvolvimento da infraestrutura aeroportuária. Para o repasse dos valores disponíveis para cada obra, será necessário um termo de convênio que irá detalhar os compromissos dos estados, que deverão dar uma contrapartida financeira. Essa contrapartida será de 15% no caso dos empreendimentos estarem localizados nas áreas prioritárias definidas no âmbito da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), nas áreas da Sudene, da Sudam e da Sudeco. Para os demais casos, a contrapartida será de 30%.

 

Fonte: Agência Estado

http://www.diabahia.com/noticia/8308/aeroportos+de+conquista+e+barreiras+terao+reforma

 

Barreiras (BA) - A aprovação com ampla vantagem (410 a favor e 63 contra) do texto-base do Novo Código Florestal Brasileiro foi entendida como uma vitória da coerência pelos produtores rurais do Oeste da Bahia.

Representados pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), suas lideranças acompanharam de perto a votação na noite na Câmara. A Aiba esteve presente também em todas as tentativas anteriores de votação, além de ter participado das principais discussões e audiências públicas sobre a matéria em todo o Brasil.

 

Segundo o vice-presidente da entidade - que congrega a quase totalidade dos produtores do cerrado baiano - Sérgio Pitt, o Novo Código vai permitir ao país gerir de forma mais eficiente o uso dos seus recursos naturais e planejar o futuro, sem engessar a atividade produtiva, ao mesmo tempo em que garante a preservação da natureza. “A coerência é tão evidente, que a lógica suplantou até mesmo a ideologia neste resultado, ganhando o apoio até de quem politicamente poderia ser contra”, analisa o vice-presidente. “Acompanhamos todas as discussões, desde as primeiras audiências públicas, e o que vemos no relatório do deputado Aldo Rebelo é justamente o equilíbrio entre o possível e o ideal para ambientalistas e agricultores”, diz.

 

Como exemplo, Pitt cita o reconhecimento do cultivo de determinadas culturas, de grande importância econômica e social, que estão consolidadas em áreas de preservação permanente, como o plantio de maçã, que se adaptou aos morros, e os arrozais, que precisam de áreas alagadas. Na Bahia, o Código também terá regras claras para o plantio do cacau, por exemplo, à sombra das árvores da mata atlântica, método conhecido como cabruca. Além disso, um grande avanço, na opinião do executivo da Aiba, foi que o novo texto criou condições para que o agricultor possa assumir compromissos para regularizar sua situação de forma segura.

 

Pitt evidencia, ainda, o poder que estados e municípios passam a ter na função de fazer o zoneamento econômico-ecológico, identificando as áreas para a preservação ambiental e as de uso alternativo. “O texto aprovado é fruto de um trabalho técnico exemplar, desenvolvido durante quase dois anos pela Comissão Especial da Câmara e brilhantemente relatado pelo deputado Aldo Rebelo. Em especial, ele cria condições para a regularização de parte dos passivos ambientais existentes, além de padronizar os procedimentos nos processos, descentralizando decisões através de atribuições aos estados e municípios”, conclui o vice-presidente.

 

 

Fonte: http://www.jornaldamidia.com.br/noticias/2011/05/26/Bahia_Nacional/Produtores_do_Oeste_da_Bahia_come.shtml