Em Luís Eduardo Magalhães, moradores interligam imóveis à rede de esgoto

Uma equipe de mobilizadores da Embasa iniciou, esta semana, as visitas aos imóveis que já podem interligar os seus esgotos domésticos à rede coletora na sede municipal de Luís Eduardo Magalhães, oeste da Bahia. A entrega das notificações, com a coleta das assinaturas junto à população, é o procedimento padrão para que os imóveis sejam interligados à rede em um prazo máximo de 90 dias. A previsão é que, neste primeiro momento, sejam entregues as notificações nos bairros Centro e Mimoso I e II.

 

A equipe técnica preparou as instalações de toda a rede do novo sistema, que vai coletar, tratar e destinar de forma adequada, sem prejuízo ao meio ambiente, os esgotos domésticos de 6,6 mil imóveis de Luís Eduardo Magalhães. A implantação do sistema de esgotamento sanitário, que vai acontecer de maneira gradual, beneficiará um total de 27 mil habitantes dos bairros Centro, Jardim Paraíso, Mimoso I e II e Santa Cruz. Estarão aptos a executar a ligação à rede de esgoto os imóveis que já estão equipados com as caixas de passagem da Embasa, localizadas nas calçadas.

 

Com a assinatura da notificação e, portanto, devidamente autorizada a ser beneficiada pelo serviço, a moradora do bairro Mimoso I, Maria Eunice Vieira da Silva, diz que vai se interligar e cumprir todas as exigências. “É um serviço importante e deixamos de gastar com limpa fossa, além de ajudar o meio ambiente”, afirma.

 

Durante a visita, os mobilizadores também entregam um material educativo sobre esgotamento sanitário com informações sobre a importância da coleta e do tratamento dos esgotos domésticos para a saúde da população. A assistente social da Embasa, Geisa Mendes, acredita que este é o momento em que os moradores também podem esclarecer as principais dúvidas. “São repassadas instruções de quais pontos de água da casa devem se ligar à rede de esgoto; sobre a obrigatoriedade de separar as redes de água e esgoto no imóvel e de não jogar lixo e gordura em pias e sanitários”, explica.

 

Tarifa

 

Durante o processo de notificações, a população será informada em relação à tarifa de esgoto, que entra em vigor após o período limite para a execução das ligações nos imóveis. Os moradores passarão a pagar 80% do valor da conta de água, cobrança respaldada pelas leis nacional e estadual de saneamento básico. A tarifa de esgoto é destinada à manutenção e investimentos no sistema de esgotamento sanitário, a exemplo de custeio de equipamentos e análises mensais da eficiência do tratamento de esgoto, energia elétrica utilizada para o funcionamento das bombas do sistema, além do pagamento de profissionais e técnicos envolvidos.

Fonte: http://www.embasa.ba.gov.br/content/em-lu%C3%ADs-eduardo-magalh%C3%A3es-moradores-interligam-im%C3%B3veis-%C3%A0-rede-de-esgoto-0