Estudantes negros ou pardos são contemplados em políticas de ação afirmativa de 21 instituções.

42,3% das universidades federais do país têm cotas para negros e índios. O STF considerou constitucional reserva de vagas nas instituições de ensino.

Segundo o MEC, cada federal tem autonomia para adotar ou não as cotas.