MST ocupa sede da Codevasf em Barreiras

Cerca de 250 pessoas do Movimento dos Sem Terra (MST) se concentram em frente ao escritório da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf) em Barreiras, município no oeste da Bahia.

Em Juazeiro, norte do estado, integrantes do MST e do movimento de pequenos agricultores também ocupam a sede da Codevasf. Segundo eles, a ocupação faz parte da Jornada Nacional de Lutas por Soberania Alimentar, que teve início na última segunda-feira (14) e vai até a próxima sexta (18). Eles devem permanecer no prédio durante todo o dia, para realizar a Conferência Popular do Semiárido, que marca do Dia Internacional da Alimentação, comememorado hoje.

De acordo com o coordenador regional do MST, Isaías Nascimento, a ocupação em Barreiras ocorreu por volta das 8h desta quarta-feira (16). O grupo pretende permanecer no local até conseguir uma reunião com a presidência da Companhia.

"O principal ponto de pauta é a questão da seca. A mobilização ocorre com o intuito de marcar uma audiência com a presidência para discutir como a Codevasf vai nos ajudar a passar pelo períoco de seca. A Companhia tem uma mega estrutura, mas já precisamos diversas vezes e nunca ajudam os assentamentos. Com conversa não foi possível, então resolvemos ocupar", justifica Isaías.

Embora os manifestantes se concentrem do lado de fora do escritório, o representante do MST afirma que a Codevasf está impedida de funcionar nesta quarta-feira. "Os portões estão fechados. A gente veio preparado, trouxemos toda a estrutura, erguemos vários barracos e temos alimentação", diz.

A reportagem não conseguiu localizar a gestão da Codevasf para falar sobre a ocupação. O MST diz que o coordenador regional da Companhia já entrou em contato com a liderança do movimento para negociar a desocupação.

Problemas da seca

Entre os problemas relacionados pelo Movimento dos Sem Terra sobre a seca, está a falta de água potável. "São diversos problemas. Temos assentamentos com 17 mil hectares com apenas um poço artesiano. Tem famílias que chegam a andar quase 40 km para encontrar água", aponta Isaías Nascimento.

http://g1.globo.com/bahia/noticia/2013/10/mst-ocupa-sede-da-codevasf-por-providencias-contra-seca-na-bahia.html