Barreiras Bahia - Fotos, videos e notícias.

Barreiras Bahia - Fotos, videos e notícias.

Série de quatro reportagens sobre desenvolvimento sustentável foi a grande vencedora na categoria telejornalismo. O repórter Mauro Anchieta representou a equipe da TV Oeste na premiação.

Série de quatro reportagens sobre desenvolvimento sustentável foi a vencedora do Prêmio Sebrae de Jornalismo.

Quarta-feira, 25/05/2011

 

 

Em audiência na manhã desta quinta-feira, 26, em Brasília, com o governador Siqueira Campos, o presidente da Valec – Engenharia, Construções e Ferrovias S/A,  José Francisco das Neves, o Juquinha, firmou o compromisso de que a Ferrovia Oeste-Leste terá uma base em Gurupi, no Sul do Tocantins.

O projeto está bem adiantado e a linha passará por Barreiras (BA) com destino ao novo porto que será construído entre Ilhéus e Salvador, o qual tem o apoio total do Governo da Bahia e da Valec para ser construído o mais rapidamente possível.

José Francisco das Neves, que é natural de Taguatinga, no sudeste do Estado, falou da admiração e respeito pelo governador e pelo Tocantins. “Juquinha é tocantinense e tem amor pelo Estado, que foi criado para dar exemplo ao País. Temos uma posição geográfica estratégica e a construção de mais esta Ferrovia aumenta a capacidade de promover um grande desenvolvimento”, disse o governador.

 

Um termo de convênio para cooperação técnica mútua para desenvolvimento da área de influência da Ferrovia Norte-Sul no Estado também foi levado pelo governador Siqueira Campos ao diretor-presidente da Valec. O senador Vicentinho Alves foi o responsável por viabilizar a audiência.

 

Acompanhado do secretário das Relações Institucionais do Governo, Lívio de Carvalho, e do senador Vicentinho, o governador Siqueira Campos entregou a proposta de cooperação técnica à Valec e apresentou alguns pontos primordiais para serem analisados pela construtora, como um termo aditivo relativo aos pátios das plataformas da Ferrovia Norte-Sul, no Tocantins, e a solicitação de aquisição de serviço de sensoriamento remoto.

 

As plataformas multimodais contam com apoio Petrobrás e participação das empresas interessadas na sua construção, ressaltando-se que todas elas estarão equipadas para o embarque/desembarque e desembaque/embarque de todos os modais envolvidos, rodoviário, ferroviário e hidroviário. O governador ainda propôs à Valec a intenção de que os municípios tocantinenses constem no plano de mitigação dos impactos ambientais decorrentes da construção da Ferrovia Norte-Sul.

 

“A Ferrovia Norte-Sul é uma realidade que ajudei a construir. Ainda na década de 70, quando defendia a construção dessa ferrovia, mesmo naquela época, imaginava que a estrutura da obra deveria seguir um modelo de redução de impactos ambientais que não prejudicasse as cidades cortadas pela ferrovia. É dever do Estado encontrar uma forma de, juntamente com a empresa construtora e com a sociedade civil e organizada, fazer valer o plano de mitigação de impactos ambientais, conciliando progresso e preservação”, afirmou o governador.

 

Para o senador Vicentinho Alves a proposta do Governo é essencial.“O empenho do governador Siqueira Campos em trazer à Valec um termo de convênio para cooperação mútua demonstra a visão moderna que se deve ter em obras públicas de grande porte, como a Norte-Sul. Não basta apenas pensar nos benefícios que a ferrovia trará, sem levar em consideração preservar o meio onde ela está inserida”, pontuou Vicentinho.

 

Ferrovia de Integração Oeste-Leste

A Ferrovia de Integração Oeste-Leste dinamizará o escoamento da produção do Tocantins e servirá de ligação dessa região com outros polos do país, por intermédio de conexão com a Ferrovia Norte-Sul. Incluída entre as prioridades do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), a Ferrovia de Integração Oeste-Leste terá 1.527 quilômetros de extensão e envolverá investimentos estimados em R$ 7,43 bilhões até 2014.

 

A ferrovia ligará as cidades de Ilhéus, Caetité e Barreiras – na Bahia – a Gurupi, formando um corredor de transporte que otimizará a operação do Porto de Ponta da Tulha e ainda abrirá nova alternativa de logística para portos no norte do país atendidos pela Ferrovia Norte-Sul e Estrada de Ferro Carajás. (Informações da Secom)

http://www.ogirassol.com.br/pagina.php?editoria=%C3%9Altimas%20Not%C3%ADcias&idnoticia=25758

 

A Secretaria Nacional de Aviação Civil aprovou a primeira fase do Plano de Investimentos do Programa Federal de Auxílio a Aeroportos (Profaa) de 2011.

Essa primeira fase, segundo portaria publicada hoje no Diário Oficial da União, contempla apenas aeroportos de menor porte, que atendem à aviação regional.

Segundo a portaria, a União disponibilizará até R$ 102,3 milhões para obras nos aeroportos de Marechal Thaumaturgo (AC), Barreiras (BA), Vitória da Conquista (BA), Iguatu (CE), Linhares (ES), Anápolis (GO), Bacabal (MA), Campo Grande (MS), Dourados (MS), Breves (PA), Fernando de Noronha (PE), Cabo Frio (RJ), Ji-Paraná (RO), Caxias do Sul (RS), Vacaria (RS), Passo Fundo (RS), Rio Grande (RS) e Santo Ângelo (RS).

Esses recursos estão previstos no programa de desenvolvimento da infraestrutura aeroportuária. Para o repasse dos valores disponíveis para cada obra, será necessário um termo de convênio que irá detalhar os compromissos dos estados, que deverão dar uma contrapartida financeira. Essa contrapartida será de 15% no caso dos empreendimentos estarem localizados nas áreas prioritárias definidas no âmbito da Política Nacional de Desenvolvimento Regional (PNDR), nas áreas da Sudene, da Sudam e da Sudeco. Para os demais casos, a contrapartida será de 30%.

 

Fonte: Agência Estado

http://www.diabahia.com/noticia/8308/aeroportos+de+conquista+e+barreiras+terao+reforma

 

Barreiras (BA) - A aprovação com ampla vantagem (410 a favor e 63 contra) do texto-base do Novo Código Florestal Brasileiro foi entendida como uma vitória da coerência pelos produtores rurais do Oeste da Bahia.

Representados pela Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), suas lideranças acompanharam de perto a votação na noite na Câmara. A Aiba esteve presente também em todas as tentativas anteriores de votação, além de ter participado das principais discussões e audiências públicas sobre a matéria em todo o Brasil.

 

Segundo o vice-presidente da entidade - que congrega a quase totalidade dos produtores do cerrado baiano - Sérgio Pitt, o Novo Código vai permitir ao país gerir de forma mais eficiente o uso dos seus recursos naturais e planejar o futuro, sem engessar a atividade produtiva, ao mesmo tempo em que garante a preservação da natureza. “A coerência é tão evidente, que a lógica suplantou até mesmo a ideologia neste resultado, ganhando o apoio até de quem politicamente poderia ser contra”, analisa o vice-presidente. “Acompanhamos todas as discussões, desde as primeiras audiências públicas, e o que vemos no relatório do deputado Aldo Rebelo é justamente o equilíbrio entre o possível e o ideal para ambientalistas e agricultores”, diz.

 

Como exemplo, Pitt cita o reconhecimento do cultivo de determinadas culturas, de grande importância econômica e social, que estão consolidadas em áreas de preservação permanente, como o plantio de maçã, que se adaptou aos morros, e os arrozais, que precisam de áreas alagadas. Na Bahia, o Código também terá regras claras para o plantio do cacau, por exemplo, à sombra das árvores da mata atlântica, método conhecido como cabruca. Além disso, um grande avanço, na opinião do executivo da Aiba, foi que o novo texto criou condições para que o agricultor possa assumir compromissos para regularizar sua situação de forma segura.

 

Pitt evidencia, ainda, o poder que estados e municípios passam a ter na função de fazer o zoneamento econômico-ecológico, identificando as áreas para a preservação ambiental e as de uso alternativo. “O texto aprovado é fruto de um trabalho técnico exemplar, desenvolvido durante quase dois anos pela Comissão Especial da Câmara e brilhantemente relatado pelo deputado Aldo Rebelo. Em especial, ele cria condições para a regularização de parte dos passivos ambientais existentes, além de padronizar os procedimentos nos processos, descentralizando decisões através de atribuições aos estados e municípios”, conclui o vice-presidente.

 

 

Fonte: http://www.jornaldamidia.com.br/noticias/2011/05/26/Bahia_Nacional/Produtores_do_Oeste_da_Bahia_come.shtml

De acordo com o presidente do Sindicato Rural, Vanir Kolln, é importante o desenvolvimento de associações como a Aprosoja, que fortalecem e buscam a organização da atividade produtiva.

Luís Eduardo Magalhães é um pólo de prosperidade no Oeste da Bahia. O município, que era distrito de Barreiras, passou de 18 mil habitantes em 2000 para aproximadamente 60 mil e esse crescimento deu-se por conta do desenvolvimento do agronegócio na região. E foi por conta desta pujança que o município foi escolhido para sediar o Circuito Aprosoja. O evento, realizado na noite desta terça-feira (24.05), na sede do Sindicato Rural, reuniu produtores de soja, milho e algodão do município e região.

 

De acordo com o presidente do Sindicato Rural, Vanir Kolln, é importante o desenvolvimento de associações como a Aprosoja, que fortalecem e buscam a organização da atividade produtiva. “Nós temos que ter os sindicatos e as federações de agricultura, mas também temos que ter as associações como a Aprosoja, pois na medida em que nós nos organizarmos seremos mais fortes em todos os sentidos, conseguindo mais recursos e mais desenvolvimento”.

O diretor executivo da Associação dos Produtores de Soja da Bahia, Rudelvi Bombarda, destacou que o Circuito Aprosoja possibilita ao produtor a discussão e o debate de questões em comum à atividade agrícola. “Além de o produtor receber informações de mercado, conhece o que os outros agricultores do país estão fazendo, e tem ainda a possibilidade de debater os problemas e discutir as soluções em comum para o setor”.

O Circuito Aprosoja levou até Luís Eduardo as palestras do analista de mercado da Agrosecurity, Fernando Pimentel, e do presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja), Glauber Silveira.

“Chegou a hora do produtor brasileiro se unir e trabalhar em conjunto, pois só assim conseguiremos avançar e conquistar este mercado que está se expandindo cada vez mais. A Aprosoja nasceu com o objetivo de trabalhar em defesa do setor, em busca do fortalecimento dos produtores”, afirmou o presidente da Aprosoja Brasil e Aprosoja Mato Grosso, Glauber Silveira.

Silveira ressaltou que Luís Eduardo Magalhães e os produtores do município são um exemplo para o país. “Queremos levar este modelo de desenvolvimento para os outros estados, mas sabemos que o que vocês fizeram aqui só será possível se nós conseguirmos superar as barreiras da falta de capacitação, de infraestrutura, logística e principalmente segurança jurídica”.

O presidente da Aprosoja, Glauber Silveira, destacou ainda a importância do produtor se comunicar melhor, de trabalhar a formação de lideranças e representantes políticos. “Nós não sabemos divulgar o quanto a nossa soja é a melhor do mundo, o quanto a nossa agricultura é sustentável e isso é uma tarefa difícil. E se hoje o povo da cidade não valoriza a produção agrícola também temos responsabilidade nisso. Nosso discurso tem que ser único, temos que nos comunicar melhor e de forma conjunta e é isso que estamos fazendo no Circuito Aprosoja”.

Luís Eduardo Magalhães é a quinta cidade a receber a etapa nacional do Circuito Aprosoja, que é uma realização da Associação Brasileira dos Produtores de Soja em parceria com as associações estaduais e sindicatos rurais. O evento já visitou Dourados (MS), Cascavel (PR), Santo Ângelo (RS) e Rio Verde (GO).

Fonte: http://www.expressomt.com.br/noticia.asp?cod=139923&codDep=6

ASCOM APROSOJA

 

A Husqvarna, empresa especializada em equipamentos para o manejo de áreas verdes, em parceria com a revenda local Parafuso Cia, comercializará seus produtos na maior feira do agronegócio nacional.

São Paulo, maio de 2011 – Segundo o Ministério da Agricultura, nos últimos meses, o número de exportações agrícolas brasileiras cresceu cerca de 20%, contribuindo para o lucro nacional de US$ 5 bilhões. Seguindo essa tendência, o nordeste do país se prepara para realizar um dos maiores eventos do agronegócio nacional: o Bahia Farm Show, que tem por objetivo divulgar as novidades em equipamentos e as melhores tecnologias criadas para atender os profissionais do setor e, ainda, gerar futuras parcerias.

 

Em sua 4° edição, o evento receberá, entre os dias 31 de maio a 04 de junho, as maiores empresas especializadas em máquinas, implementos, insumos e serviços de agronegócio. Entre os 170 expositores, a Husqvarna, multinacional sueca líder em equipamentos para o manejo de áreas verdes, fará uma ação de vendas, em parceria com sua revendedora local, a Parafuso Cia, para atender aos usuários que quiserem aderir no evento um produto potente e ágil. “Além da demonstração dos nossos produtos, os participantes da feira poderão testar os equipamentos e, ainda, comprá-los no próprio local. Aceitaremos cartão, cheque e dinheiro, tudo para melhor atender aos nossos clientes e contribuir para esse setor, que faz o Brasil crescer”, conta Adriano Costa de Oliveira, Supervisor de Vendas na Bahia.

 

Além de sua linha tradicional de produtos para atividades rurais e florestais, com foco nos equipamentos de alto desempenho e facilidade de manuseio – ideal para profissionais que buscam potência e produtividade, a empresa apresentará seu lançamento de 2011: a motosserra Husqvarna 362, recomendada para uso em propriedades rurais e em reflorestamentos. Destaca-se pela alta produtividade, desempenho superior e resultado de alta qualidade. “A 362 nasceu para atender uma nova demanda. Os produtores rurais passaram a investir na silvicultura como segunda fonte de renda. Por ser versátil e potente, a motosserra pode ser utilizada tanto para serviços rurais quanto para atividades de reflorestamento”, explica Adriano.

 

Segundo a organização do evento, para este ano está previsto um público de 40 mil pessoas. “Para a Husqvarna, participar do Bahia Farm Show permite que a empresa esteja mais próxima de seu público, para, assim, cada vez mais aprimorarmos nosso atendimento, produtos e serviços oferecidos. A feira representa o fortalecimento da economia nordestina brasileira, contribui para a formação de novos negócios e possibilita o desenvolvimento de projetos e parcerias”, diz. Dados divulgados pela organização mostram que, em 2010, a feira gerou R$ 316 milhões de reais. “Com o setor em alta, podemos esperar muito mais para 2011!”, finaliza Adriano.

 

Serviço:

Bahia Farm Show: 31 de maio a 4 de junho

Horário: das 9h às 19h

Local: Complexo Bahia Farm Show – Estrada BR 020/242, km 535 - Luís Eduardo Magalhães - BA

 

Para mais informações, acesse: www.bahiafarmshow.com.br

 

 

Desmatamento e risco de contaminação da água e do solo preocupam os moradores do local. O tálio é muito valioso e só existe em outros dois países.

 

Foram anunciadas 42 oportunidades para profissionais de nível médio. O cargo é para Assistente em Administração. A remuneração será de R$ 1.800.

A jornada de trabalho equivale a 40 horas por semana. Veja mais detalhes através do site da UFBA.